BIOGRAFIA

Jair Bloch nasceu dia 26 de fevereiro de 1982 em São Paulo. O cantor, compositor, guitarrista e formado em direito nasceu e foi criado no bairro de Santana, zona norte da capital paulista.

Quando criança, Jair aproveitava as saídas de sua irmã mais velha Viviane para temporariamente 'furtar' seu velho e corroído violão, abandonado no armário. Depois de esboçar suas primeiras melodias, Jair tratava de devolver o violão antes que ela chegasse.

Aos 11 anos de idade foi matriculado no curso de violão.

Não demorou muito para o artista começar a fuçar o quarto de sua irmã novamente. Mas dessa vez foi pior. Foram os discos preferidos de Viviane que chamavam a atenção do menino entre eles Titãs, Bon Jovi, Pink Floyd, Blitz, Ultraje a Rigor, Van Halen, Michael Jackson e U2. Pior por um lado, melhor por outro: alguns desses discos fizeram despertar a paixão de Bloch pelo rock e consequentemente trocar o violão pela guitarra.

Dos doze anos em diante, Jair participou de várias bandas e festivais de colégios --chegou a tocar baixo e até bateria nesses eventos.

Aos 13 anos, compôs sua primeira música, de título "Todos Estamos no Mesmo Lugar". Era o prenúncio de uma carreira solo, já que a faixa veio a ser gravada, anos depois, no primeiro disco do artista: “1º Round” (2007).

A adolescência confirmou as tendências roqueiras, porém nunca restringiu os ouvidos do cantor, influenciado tanto pelas guitarras pesadas de Pantera, Iron Maiden, Metallica e Sepultura, quanto pelas letras cuidadosas de Djavan, Cazuza, Paralamas do Sucesso e Titãs, sua banda favorita.

Desde os 17 anos, Bloch é músico profissional e está no circuito de bares de São Paulo, onde já realizou memoráveis shows acústicos e elétricos e começou a revelar suas composições e a formar seu público.

NO ESTÚDIO E NA ESTRADA

“1º ROUND”

No primeiro semestre de 2005 o artista se sentiu preparado e artisticamente maduro para começar gravar o primeiro disco, lançado dois anos depois e intitulado “1º Round”, com 11 faixas.

Os destaques deste trabalho ficam com a canção “Olhar pra Trás”, com espaço em grandes rádios, e “O Fim”, cujo clipe conta com a participação especial de Zé do Caixão.

A partir do “1º Round”, Jair excursionou pelo interior de São Paulo e, em 2008, suas músicas já embalavam trilhas das rádios e impulsionavam a agenda de shows do artista.

A longevidade da canção “Olhar pra Trás” nas rádios fez com que Jair Bloch relançasse o álbum “1° Round” (2010) em segunda edição, após esgotar a primeira tiragem.

A nova edição conta com a faixa inédita “Até o Fim” e também com as faixas “Olhar pra Trás” e “Ninguém Sabe o que É Ser” regravadas, além de ensaio fotográfico com participação da lenda do pugilismo brasileiro Eder Jofre.

JAIR E O M1TO

Em 2006, pouco antes de lançar o primeiro álbum, Jair Bloch compôs e gravou a polêmica canção “Inigualável”, em homenagem ao goleiro do São Paulo, Rogério Ceni, no auge de suas conquistas e recordes.

Além de agradar muito ao homenageado, a canção foi executada em programas de rádio e TV e rendeu a Bloch visibilidade em jornais, revistas, sites e blogs.

A música repercutiu tanto que acabou indo parar na primeira edição do disco “1° Round”, como uma faixa-bônus.

EPIFÂNIA

Atualmente, Jair Bloch divulga o novo disco “Epifania”, com um rock apoiado em violões.

O primeiro single “Pra Você Gostar” já é executado em diversas rádios do Brasil. Também integralmente autoral, contemplando 9 músicas inéditas e 3 versões de seus sucessos, o novo álbum revela um artista maduro, conciso e instigante.